Dia de Páscoa – 4 de abril de 2021

João 20:1-8

“E no primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro sendo ainda escuro e viu a pedra tirada do sepulcro…” João 20:1

“…e foi a tarde e a manhã, o dia primeiro.” Génesis 1:5b

Deus pela Sua graça e bondade, acrescenta hoje à nossa vida mais um Domingo de Páscoa. Na altura em que vos escrevo, e sem saber se o poderemos celebrar presencialmente na Igreja ou não, fica desde já o meu desejo que possamos vive-lo nas nossas Igrejas e nesse encontro fundamental que nada nem nenhum método pode substituir, por mais atraente que pareça. Uma coisa é certa, celebraremos de qualquer forma, porque temos aprendido no último ano que somos suficientemente fortes para resistir a todas as tribulações. Estamos no mais importante de todos os Domingos, e todos são consequência mais que direta deste em que celebramos a vitória da Vida sobre a Morte. Desde que me lembro que me impressiona até às lágrimas a manhã deste dia. É a manhã que me leva todos os medos, que acumulados durante o ano, deposito hoje à porta do Túmulo do Senhor, porque este é o Domingo que retira as pedras dos corações. E antes de entrarmos neste Túmulo limpamos os pés para deixar fora o pó de que somos feitos, para podermos entrar no mistério de Deus e para não nos apresentarmos diante d`Ele com os resquícios dos medos, receios, e fragilidades de que somos feitos. Hoje, o mais importante não é entrar no Túmulo do Senhor, mas sair dele livres desse resto de humanidade que nos persegue durante o resto ano. Desde que me lembro que mais do que Domingo de Páscoa para mim sempre foi o Domingo da Ressurreição. Esse sonho humano transformado por Deus em realidade inquestionável. Fecho os meus olhos e ouço uma Pregação que haveria de ficar sólida na minha formação e nas minhas convicções Cristãs até ao dia de hoje. Ouço um Pastor pregar com lágrimas nos olhos sobre todas as ressurreições que o Senhor operou enquanto vivo, o filho da Viúva de Naím e a de Lázaro. Hoje como o Senhor, e enquanto plenamente humano, choro diante dos túmulos daqueles que a morte me raptou. Só não sei se choro por eles me fazerem falta ou se por eu ainda não ter ido ter com eles…! Aceito a vontade de Deus na Vida e na Morte! Hoje é o dia da Esperança transformada em Certeza. Maria Madalena foi de manhã ainda escuro ao túmulo, no primeiro dia da semana. Hoje é o primeiro dia da semana o dia em que Deus na Criação tira a luz das entranhas das trevas e no fim desse dia diz que tudo quanto tinha feito era bom. Hoje, nesta manhã, primeiro dia da semana, antes de nascer a luz do Sol, mas já com a plenitude da luz da Ressurreição, podemos pedir emprestada a Deus a sua própria palavra para Lhe dizer: “Senhor, tudo quanto tu fizeste por nós em Cristo é Bom!”

José Manuel Cerqueira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *