Dia de Ação de Graças pela Instituição da Santa Comunhão – 03 de junho de 2021

S. João 6,51-58

A quinta-feira seguinte ao Domingo da Trindade é o Dia de Ação de Graças pela Instituição da Santa Comunhão.

O Evangelho deste dia revela-nos Jesus identificando-se como o pão vivo que veio do céu e acrescentando: quem comer deste pão viverá para sempre e o pão que eu dou é meu próprio corpo, oferecido para que tenham vida.

Os judeus que escutaram estas palavras de Jesus não as compreenderam e discutiam entre si, porque pensavam apenas no aspecto material da vida: comer o corpo de uma pessoa?

Jesus continuou: aquele que come o meu corpo e bebe o meu sangue tem a vida eterna e eu o ressuscitarei. Pois o meu corpo é verdadeira comida e o meu sangue é verdadeira bebida. Quem comer o meu corpo e beber o meu sangue vive unido a mim e eu a ele. O Pai que me enviou é o Deus vivo e eu vivo por meio dele. De igual modo, aquele que se alimenta de mim vive para mim. Este é, pois, o pão vivo que veio do céu. Quem comer deste pão vive para sempre.

Jesus estava antecipando a instituição da Santa Comunhão que viria a ocorrer mais tarde durante a Ceia da Páscoa com os seus discípulos. Jesus pegou no pão deu graças a Deus, partiu-o, deu-o aos seus discípulos e disse: Tomem e comam. Isto é o meu corpo.

Depois pegou no cálice, deu graças a Deus, passou-o aos discípulos e disse: Bebam todos dele, pois isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança de Deus, derramado para o perdão dos pecados (Mateus 26, 26-28).

A Santa Comunhão materializada no pão que o celebrante abençoa, parte e distribui e no vinho que também é abençoado pelo celebrante e depois distribuído, são o alimento espiritual do Corpo e Sangue de Cristo, a verdadeira comida e a verdadeira bebida, que nos unem a Cristo e ao Pai, o Deus vivo que nos dá vida para sempre, tornando-se assim a Santa Comunhão na maior dádiva do Senhor Nosso Deus.

Quando analisamos o nosso percurso de vida encontramos muitos motivos para darmos graças a Deus e apresentamos-lhe orações de ação de graças e até por vezes expressamos o nosso agradecimento com ofertas monetárias à Igreja.

Podemos receber muitas bênçãos de Deus mas a maior de todas é esta dádiva de Deus, dando-se na pessoa do Filho, no alimento espiritual da Santa Eucaristia e que surge do grande amor de Deus para com a humanidade e que nós, na nossa pequenez, somos chamados a agradecer esta dádiva de Deus com um dia de Ação de Graças.

Carlos Duarte, Presbítero

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *