14º domingo comum – 04 de julho

S. Marcos 6,1-6

Neste texto, S. Marcos relata o não reconhecimento de pessoas que viram crescer Jesus em o reconhecer como o Messias, o Cristo. Consideravam impossível que alguém que lhes fosse tão familiar fosse divino. Isso acontece-nos todos os dias, ao não querermos ver a mão de Deus no bem que todos os dias recebemos. Para muitos, deus é um mágico que deve atuar a nosso favor. Jesus fazia, e faz, apenas a vontade de Deus. Mas apenas se nós o reconhecermos, se nos abrirmos à Sua graça, que é uma dádiva gratuita, mas que respeita a nossa liberdade em a aceitarmos, ou não. Só com aceita essa Graça, pode ver o Seu amor nas coisas mais simples da vida, e aceitar que o mal vem dos homens e que a mortalidade não é o fim se acreditarmos na Ressurreição, pela qual Jesus venceu a morte, possibilitando a todos a vida eterna. Deixarmos de ser nós para que Cristo habite em nós.

Clara Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *